QUER EMAGRECER SÓ COM EXERCÍCIOS FÍSICOS?

QUER EMAGRECER SÓ COM EXERCÍCIOS FÍSICOS?

atividadefísicaapenasnãoemagrece

É muito comum no consultório endocrinológico a procura por pacientes que se queixam da dificuldade de perda de peso mesmo realizando atividades físicas diárias. Acontece que atividade física apenas não emagrece.

Foi o que mostrou um trabalho publicado no The New England Journal of Medicine, um dos mais bem conceituados jornais de medicina. Neste estudo, 107 obesos com mais de 65 anos foram acompanhados por 52 semanas. Os participantes foram divididos em quatro grupos:
– grupo controle (não exercita e não faz dieta)
– grupo da dieta
– grupo do exercício
– grupo dieta + exercício

Enquanto o grupo dieta e o grupo dieta + exercício perderam quase 10% do peso corporal, o grupo da atividade física, mesmo tendo melhoras significativas no bem-estar e na capacidade física, apresentou a mesma perda de peso que o grupo controle. Ou seja, não tiveram perda significativa.

Extrapolando os resultados do estudos, podemos dizer que as pessoas do grupo que fizeram apenas atividade física, apesar de apresentarem um maior gasto calórico diário, provavelmente possuíam um maior consumo energético diário. É porque, para compensar o gasto energético do exercício, o nosso corpo nos manda estímulos hormonais para aumentar a ingestão alimentar diária, o que muitas vezes não percebemos.

Então, fazer atividade física não adianta?
A atividade física AJUDA na perda de peso, mas o essencial é uma dieta hipocalórica.

O exercício tem um papel bem mais importante na manutenção do peso perdido do que no emagrecimento propriamente dito. Algo de extrema importância, já que manter o peso é mais difícil do que emagrecer. Além disso, ao associar o exercício à dieta, perde-se proporcionalmente mais gordura, preservando, assim, a massa muscular.

O USO DE TRIBULLUS TERRESTRIS (TT) NO ESPORTE

O USO DE TRIBULLUS TERRESTRIS (TT) NO ESPORTE

Tribullus terrestris no esporteO tribullus terrestris (TT) é corriqueiramente divulgado e utilizado por atletas como potencializador da testosterona. Mas, será que realmente funciona?

O TT é um suplemento alimentar extraído de uma planta, uma erva daninha encontrada em regiões como o sul da Europa e da Ásia  e também na África e na Austrália.  Seu consumo acontece há muito tempo entre gregos, chineses e indianos com a promessa de aumentar a libido, a ereção e a produção de espermatozoides.  Mas a sua fama foi promovida na Bulgária, onde foi muito usado na década de 70, sendo motivo de especulações acerca do alto potencial dos atletas daquele país na modalidade de levantamento de peso. Entretanto, foi descoberto que aqueles atletas, na verdade, ganhavam sua performance era com o uso de esteroides anabolizantes.

Porém, ainda que o TT continue a ser comercializado como um potencializador da testosterona, a maioria dos estudos não mostra o aumento dos pré-hormônios (hormônios que irão se transformar em testosterona) e nem dos derivados da testosterona.

Então, ao que se deve o fato de o TT ser consumido com esse propósito?

Ao estudar as formulações milagrosas vendidas no mercado, constatou-se que estavam contaminando o TT com um pré-hormônio, formando uma composição erva-androgênica cuja qual era a verdadeira causa do aumento da testosterona e da performance nos atletas. Isso levou um atleta norueguês ser desclassificado das olimpíadas ao ser pego no doping, já que seu TT estava contaminado com 19-norandrostenediona.

Após esse episódio, o Instituto Australiano de Esporte desenvolveu um programa de suplementação esportiva para evitar que seus atletas consumissem, erroneamente, suplementação alimentar contaminada com anabolizantes e classificou as fórmulas de TT no grupo D, ou seja, que devem ser banidas pelo alto risco de contaminação.

Então, fique atento! O uso do TT não interfere em qualquer mudança na força, na hipertrofia ou na composição corporal, pois não foi associado, em humanos, ao aumento da testosterona, dos seus pré-hormônios ou de seus derivados. E, apesar de bem tolerado, o TT pode apresentar desde efeitos colaterais leves no trato gastrointestinal até mesmo insuficiência renal e hepática, devendo então ser prescrito por um profissional capacitado.

VIGOREXIA: SERÁ QUE EU TENHO?

VIGOREXIA: SERÁ QUE EU TENHO?

Vigorexia

A vigorexia é uma síndrome em que o paciente se vê pequeno e frágil apesar de estar musculoso e forte. É, portanto, uma doença psicológica caracterizada pela preocupação em não ser suficientemente musculoso. Uma distorção de imagem contrária à anorexia.

São sinais e sintomas da vigorexia:
– Insatisfação total ou parcial com o corpo;
– Passar mais de 3 horas por dia pensando na musculatura;
– Halterofilismo e exercício compulsivo (mais de 3 horas diárias na academia);
– Distúrbio alimentar (compulsão alimentar e uso exagerado de suplementos ao pensar que não está forte o suficiente);
– Deixar de fazer outros tipos de atividades que antes eram agradáveis;
– Abuso de esteroides;
– Alterações do humor e ansiedade.

Pessoas com esse distúrbio geralmente têm uma vida social comprometida; são incapazes de aproveitar momentos de relaxamento com os amigos para evitar qualquer tipo de bebida ou comida que possa prejudicar os seus objetivos.

Se você se identifica com o que falamos hoje, procure ajuda profissional. É importante trabalharmos a autoestima e a autoaceitação, bem como tratar sintomas como ansiedade e depressão.

E AGORA, COMO RECUSAR A CERVEJA NO DOMINGO?

E AGORA, COMO RECUSAR A CERVEJA NO DOMINGO?

Cerveja e exercícioSegundo o estudo “Effects of a moderate intake of beer on markers of hydration after exercise in the heat: a crossover study”, publicado pelo Journal of the International Society of Sports Nutrition, um dos principais jornais de nutrição esportiva mundial, o consumo moderado de cerveja após uma atividade aeróbica em um ambiente quente não apresentou nenhum efeito prejudicial sobre os marcadores bioquímicos de reidratação.

Portanto, a cervejinha no domingo pode ser consumida, desde que se observe que:
– o consumo moderado é equivalente a 660 ml;
– as referências dos exercícios aeróbicos, neste caso,  devem ser menos de 1 hora de corrida a 60% VO2 máximo.

 

POR QUE DEVEMOS REALIZAR A BIOIMPEDÂNCIA?

POR QUE DEVEMOS REALIZAR A BIOIMPEDÂNCIA?

É muBIOIMPEDÂNCIAito comum os pacientes não perderem peso ao praticar atividades físicas e ao realizar dietas, porém apresentar uma redução das medidas corporais (a calça está caindo). Existe sempre o questionamento se junto com a perda de gordura houve um ganho de massa muscular, pois muitas vezes pode ser apenas um acúmulo de água na musculatura edemaciada.

Para se avaliar a composição corporal utilizamos a bioimpedância, que através de uma passagem de corrente elétrica imperceptível entre os membros inferiores e superiores, determina com alta precisão a quantidade de água, de gordura e de massa magra livre de gordura.

Ao se realizar a bioimpedância podemos avaliar com exatidão a evolução da perda de gordura e de ganho de massa muscular e a mudança da composição corporal do atleta, para aperfeiçoarmos a dieta, o treinamento físico e a prescrição dos medicamentos.

Olá! Como vai?
Em que posso te ajudar?

COMUNICADO

Prezados clientes,

Devido ao aumento de casos de COVID, intensificamos nossos cuidados
para garantir que nosso espaço seja um ambiente seguro à nossa equipe
e a todos vocês.

Realizamos constantemente a higienização das áreas de acesso da clínica
e também dos equipamentos usados durante as consultas.

Tudo para que o seu atendimento aconteça com tranquilidade e o seu
acompanhamento não seja interrompido.

Estamos preparados para lhes receber!