TRIBULLUS TERRESTRIS (TT) NO ESPORTE

Tribullus terrestris no esporte

É um suplemento alimentar extraído de uma planta, há muito tempo utilizado pelos gregos, chineses e indianos, com a promessa de aumentar a libido, a ereção e a produção de espermatozóides.

Atualmente, está sendo muito divulgado e utilizado por atletas como potencializador da testosterona. Sua fama foi promovida na Bulgária, onde foi muito usado na década de 70, sendo sugerido como o motivo pelo qual o país ter tantos atletas campeões na modalidade de levantamento de peso, entretanto, foi descoberto que estes atletas, na verdade, ganhavam sua performance era com o uso de esteróides anabolizantes.

O TT é comercializado como um potencializador da testosterona, porém a maioria dos estudos não demonstra aumento dos pré-hormônios (hormônios que irão se transformar em testosterona) e nem dos derivados da testosterona. Ao estudar as formulações milagrosas vendidas no mercado, constatou-se que estavam contaminando o TT com um pré-hormônio, formando uma composição erva-androgênica cuja qual era a verdadeira causa do aumento da testosterona e da performance nos atletas. Um norueguês foi desclassificado das olimpíadas ao ser pego no doping, já que seu TT estava contaminado com 19-norandrostenediona. Após esse episódio, o Instituto Australiano de Esporte desenvolveu um programa de suplementação esportiva para evitar que seus atletas consumissem, erroneamente, suplementação alimentar contaminada com anabolizantes e classificou as fórmulas de TT no grupo D, ou seja, que devem ser banidas pelo alto risco de contaminação.

Em humanos, o uso do TT não foi associado ao aumento da testosterona, dos seus pró-hormônios ou de seus derivados, além de não levar a qualquer mudança na força, na hipertrofia ou na composição corporal.

O TT apesar de bem tolerado, pode apresentar desde efeitos colaterais leves no trato gastrointestinal até mesmo insuficiência renal e hepática, devendo então ser prescrito por um profissional capacitado.